Sorriso é do Germânia

sorriso

O zagueiro Ricardo Prado “Sorriso“, tetracampeão brasileiro pelo Florianópolis e com passagem pela seleção brasileira, é o novo reforço do Germânia para a temporada 2017. Aos 29 anos e morando em Niterói (RJ) desde 2014, o atleta traz bastante experiência para o novo clube, que acabou de conquistar o heptacampeonato brasileiro e vai em busca do 8º título no ano que vem.

O Hóquei Brasil conversou com o jogador, que apontou três motivos principais para a mudança: “Fui muito bem acolhido pelo time, vou ter a possibilidade de treinar em um campo oficial e não fazia sentido treinar com uma equipe e jogar por outra”. Sorriso diz ainda que a saída do Florianópolis foi tranquila: “Conversei com o técnico Fernando Valdés, que apoiou a decisão e me desejou o melhor. Meus companheiros de clube também deram muito suporte, até brincaram me pedindo para ficar, mas entenderam.”, finaliza Sorriso. Depois da conquista nacional, o time carioca só retoma os treinamentos em 2017.

7 x Germânia

germania

Supercampeão nas primeiras edições do Campeonato Brasileiro, o Germania amargava um incômodo jejum desde 2009. Depois de uma bela campanha nas fases anteriores, restava o confronto final contra o rival Rio Hockey no Centro de Hóquei da UFRJ, no Rio de Janeiro. E a finalíssima teve contornos épicos, como uma decisão deveria ser. O zagueiro Pedro Fortes abriu o placar para o Germânia, mas Joaco Lopez virou o placar para o time alviverde. Coube ao craque argentino Willy Schickendantz  deixar tudo igual no placar e levar o jogo para a disputa de shootouts. O goleiro Victor Franco brilhou e defendeu todas as cobranças. O gol decisivo saiu num pênalti sofrido por Felipe, que foi convertido por Giovanni, batedor oficial de pênaltis do Germânia. Formado no Projeto Deodoro, o primeiro a usar o campo oficial depois do Pan 2007, Gio passou uma temporada jogando em Córdoba, na Argentina, e hoje é um dos destaques da equipe carioca. Andy perdeu na sequência e aí começou a festa no Fundão, com os atletas e a comissão técnica do Germania comemorando muito o sétimo título brasileiro.

germania-campeao

Nas premiações individuais, a equipe da Gávea teve ainda o atacante argentino Guillermo Schickendantz como artilheiro do campeonato, com 18 gols em 7 jogos. Lucas Paixão, do Florianópolis, foi escolhido o melhor jogador da competição. O melhor goleiro foi Taffa, do Carioca.

A medalha de bronze – e o direito de pedir a Bolsa Atleta – ficou com o Florianópolis. A equipe catarinense venceu o Macau na disputa de shootouts, depois do empate em 1 a 1 no tempo normal. Com o equilíbrio no campeonato, a decisão do 5º lugar entre Desterro e Cariocaa também foi para os shootouts. Depois de estar vencendo por 3 x 1, os galáticos cederam o empate no fim do jogo. Os dois goleiros foram muito bem, mas a vitória acabou com o time catarinense.

O 7º lugar ficou com o Interlagos, que levou a melhor sobre o Província em um jogo tenso. A equipe paulistana venceu por 3 x 0, com dois gols do carioca Magrinho e um de Frans. A 9ª posição ficou com o Deodoro, que teve a pior campanha na fase de classificação.

 

Velha rivalidade em campo na final do Brasileirão

rh

Na 1ª fase, o Germânia venceu o Rio Hockey por 3 x 1

Eles treinaram anos na mesma quadra, no bairro carioca da Gávea. Amigos fora de quadra, quando a bolinha rolava a rivalidade é que dava o tom nos confrontos entre o Rio Hockey e o Germânia. Capitaneado historicamente pelo chileno Cláudio Cuevas, o RH recentemente passou a ser comandado pelo técnico da seleção brasileira, Cláudio Rocha. Vieram atletas que defenderam a seleção na Olimpíada, como Joaco López (ex-Carioca e Germânia) e Bruno Mendonça (ex-Deodoro e Carioca). O Germânia é um dos clubes mais tradicionais do país, com seis títulos nacionais e uma grande história no hóquei brasileiro. Recentemente passou a trazer atletas argentinos para reforçar a equipe, com destaque esse ano para Guillermo “Willy” Schickendantz, atacante com mais de 40 jogos pela seleção argentina.

aguiar.jpg

Rapha Aguiar comemora gol contra o Rio Hockey

Os velhos amigos e rivais entram em campo neste domingo às 16:15 para decidir quem fica com o título brasileiro. O Germânia, vindo de um bronze no ano passado, persegue o título que não conquista desde 2009. O Rio Hockey, 5º colocado em 2015, disputa a primeira final de brasileiro em sua história. No jogo pela primeira fase, o Germânia venceu por 3 x 1, com gols de Rapha Aguiar, Diego e Willy. E agora, quem será que leva a melhor?

carioca.jpg

O Carioca vai disputar o 5º lugar com o Desterro

E vai ter muita emoção também na disputa pela medalha de bronze, que além de um lugar no pódio garante um apoio financeiro importante em 2017: a Bolsa Atleta, oferecida pelo Ministério dos Esportes. Macau e Florianópolis jogam às 14h. A disputa pelo 5º lugar vai ter um duelo de ex-campeões. Desterro – que levou o Brasileirão em 2008 – contra o tricampeão Carioca. Valendo pelo 7º lugar vamos ter o duelo entre Interlagos x Província.

 

Sábado decisivo no Brasileirão masculino

joacoJoaco é um dos destaques do Rio Hockey, que disputa vaga na final

Vão ser definidos hoje os finalistas do Campeonato Brasileiro masculino, disputado no Centro de Hóquei da UFRJ, no Rio de Janeiro. Na primeira semifinal, a disputa é entre Macau e Rio Hockey, às 14h. As duas equipes vão em busca do primeiro título na competição. França é o destaque no time paulista e os cariocas contam com o talento do argentino Joaco López.

Na sequência, às 16:15, Germânia e Florianópolis se enfrentam em busca da outra vaga na decisão. A equipe do Rio de Janeiro é a maior vencedora da competição, com 6 títulos, mas não levanta o caneco desde 2009 e conta com o talento do argentino Willy Schickendantz para voltar a gritar “É Campeão”. Já o Florianópolis, que conta com vários atletas que jogaram as Olimpíadas, é o atual campeão e tem mais três títulos brasileiros (2007, 2010 e 2011).

luaLua vai tentar levar o Floripa à decisão, em busca do penta

germaniaO Germânia vai em busca do sétimo título brasileiro

Mas a bola começa a rolar cedo na Ilha do Fundão. Agora de manhã, entram em campo Interlagos x Desterro na disputa do 5º ao 8º lugar, às 9h. Em seguida, se enfrentam Carioca x Província. às 11:15.  Você vai acompanhar aqui no Hóquei Brasil os resultados das partidas neste sábado de muito hóquei!

francaFrança, um dos destaques do Macau na semifinal de hoje

 

O Brasileirão é paulistano, meu!

macau-campeaoMeninas do Macau comemoram título inédito

O Macau fez história neste domingo no Centro de Hóquei da UFRJ, no Rio de Janeiro, ao conquistar pela primeira vez o Campeonato Brasileiro feminino. O título inédito veio na vitória sobre o Desterro (pentacampeão brasileiro) na disputa de shoot-outs pelo placar de 3 x 1. Na comemoração, a equipe paulistana homenageou com uma faixa o ex-presidente da FHESP Antônio Sousa, o o Toninho, que morreu em setembro.

interlagos.jpgInterlagos com a medalha de bronze do Brasileirão feminino

Outra conquista muito importante para São Paulo foi a medalha de bronze para as meninas do Interlagos, que estrearam em competições nacionais, treinadas pelo holandês Max Spanjer. Tendo como destaques Bibiana, Vicky Fontana e a goleira Vicky Hevia, o time esse ano ainda ganhou o reforço de quatro atletas do projeto Deodoro Hóquei, do Rio de Janeiro: Alice, Thayná, Tati e Thaís. Na disputa pelo 3º lugar neste domingo, elas seguraram o empate em 0 x 0 com a forte equipe do Florianópolis e a decisão foi para os shoot-outs. O Interlagos fez 4 x 1, com grande atuação da goleira Giselda, e comemorou muito a medalha, além do direito de receber a Bolsa Atleta em 2017.

desterro

Desterro com a medalha de prata no Brasileirão

Nas premiações individuais, a argentina Soledad (Macau) foi escolhida a melhor jogadora do campeonato. A artilheira foi outra hermana: Delfina Granatto, do Londrina, com 10 gols. A melhor goleira foi Bella Martins, do Macau.

Em relação ao nome “Campeonato Brasileiro de Hockey5” nas medalhas, a CBHG informou que houve um erro por parte da empresa fornecedora e não havia tempo para fazer a alteração sem comprometer a premiação neste domingo.

macau1

Como a CBHG usou quase R$ 2 milhões em 2015 pela Lei Agnelo Piva

PIVA 2015.jpg

O Hóquei Brasil mostra como a CBHG usou os recursos recebidos do COB por meio da Lei Agnelo Piva, que destina parte do faturamento das loterias para as confederações esportivas. A entidade recebeu no ano passado R$ 2.089.123,60 (dois milhões, oitenta e nove mil, cento e vinte e três reais e sessenta centavos), usando praticamente todo o valor (R$ 1.998.739,83). Mais de um terço da verba foi usada na conta Competições, com 35,4%. Logo em seguida veio o Desenvolvimento, com 26% do valor. Na sequência, a conta Manutenção, com 17,5%. A Preparação Técnica ficou com 16,8%. As contas Recursos Humanos e Manutenção de Atletas ficaram zeradas em 2015. Pouco mais de R$ 90 mil não foram utilizados pela entidade no ano passado.

PIVA_2.jpg

Como as contas são bem genéricas, o Hóquei Brasil entende que um detalhamento maior é muito importante para maior informação da comunidade do hóquei nacional. Então enviamos, como sempre, e-mail à CBHG pedindo mais informações. Como normalmente não há resposta, passaremos a tornar os e-mails públicos, para que você saiba quais questionamentos foram feitos de maneira a deixar as reportagens mais informativas.

email CBHG.jpg