O Brasileirão é paulistano, meu!

macau-campeaoMeninas do Macau comemoram título inédito

O Macau fez história neste domingo no Centro de Hóquei da UFRJ, no Rio de Janeiro, ao conquistar pela primeira vez o Campeonato Brasileiro feminino. O título inédito veio na vitória sobre o Desterro (pentacampeão brasileiro) na disputa de shoot-outs pelo placar de 3 x 1. Na comemoração, a equipe paulistana homenageou com uma faixa o ex-presidente da FHESP Antônio de Sousa, o o Toninho, que morreu em setembro.

interlagos.jpgInterlagos com a medalha de bronze do Brasileirão feminino

Outra conquista muito importante para São Paulo foi a medalha de bronze para as meninas do Interlagos, que estrearam em competições nacionais, treinadas pelo holandês Max Spanjer. Tendo como destaques Bibiana, Vicky Fontana e a goleira Vicky Hevia, o time esse ano ainda ganhou o reforço de quatro atletas do projeto Deodoro Hóquei, do Rio de Janeiro: Alice, Thayná, Tati e Thaís. Na disputa pelo 3º lugar neste domingo, elas seguraram o empate em 0 x 0 com a forte equipe do Florianópolis e a decisão foi para os shoot-outs. O Interlagos fez 4 x 1, com grande atuação da goleira Giselda, e comemorou muito a medalha, além do direito de receber a Bolsa Atleta em 2017.

desterro

Desterro com a medalha de prata no Brasileirão

Nas premiações individuais, a argentina Soledad (Macau) foi escolhida a melhor jogadora do campeonato. A artilheira foi outra hermana: Delfina Granatto, do Londrina, com 10 gols. A melhor goleira foi Bella Martins, do Macau.

Em relação ao nome “Campeonato Brasileiro de Hockey5” nas medalhas, a CBHG informou que houve um erro por parte da empresa fornecedora e não havia tempo para fazer a alteração sem comprometer a premiação neste domingo.

macau1

Como a CBHG usou quase R$ 2 milhões em 2015 pela Lei Agnelo Piva

PIVA 2015.jpg

O Hóquei Brasil mostra como a CBHG usou os recursos recebidos do COB por meio da Lei Agnelo Piva, que destina parte do faturamento das loterias para as confederações esportivas. A entidade recebeu no ano passado R$ 2.089.123,60 (dois milhões, oitenta e nove mil, cento e vinte e três reais e sessenta centavos), usando praticamente todo o valor (R$ 1.998.739,83). Mais de um terço da verba foi usada na conta Competições, com 35,4%. Logo em seguida veio o Desenvolvimento, com 26% do valor. Na sequência, a conta Manutenção, com 17,5%. A Preparação Técnica ficou com 16,8%. As contas Recursos Humanos e Manutenção de Atletas ficaram zeradas em 2015. Pouco mais de R$ 90 mil não foram utilizados pela entidade no ano passado.

PIVA_2.jpg

Como as contas são bem genéricas, o Hóquei Brasil entende que um detalhamento maior é muito importante para maior informação da comunidade do hóquei nacional. Então enviamos, como sempre, e-mail à CBHG pedindo mais informações. Como normalmente não há resposta, passaremos a tornar os e-mails públicos, para que você saiba quais questionamentos foram feitos de maneira a deixar as reportagens mais informativas.

email CBHG.jpg

Faustino embarca para jogar na Espanha

faustino embarque

Faustino no embarque em Florianópolis

O goleiro Rodrigo Faustino, um dos destaques da seleção brasileira na Olimpíada, com grandes atuações, embarcou nesta terça-feira (23) para Barcelona, na Espanha. O catarinense, que completou 29 anos em janeiro, vai jogar pelo Deportivo Terrassa, fundado em 1910 e com um título da Liga Espanhola e 12 da Copa do Rey no masculino. Faustino é tetracampeão brasileiro pelo Florianópolis e conquistou o título do Evento Teste Olímpico pela seleção brasileira em 2015.

O goleiro, que tem Ayrton Senna como ídolo no esporte, tinha assinado com o Rio Hockey para o Campeonato Brasileiro desse ano, mas ainda não se sabe se vai participar da fase final da competição. Durante os Jogos, o atleta foi destaque na imprensa ao pedir em casamento a namorada, Maria Luiza Gil, logo após a partida contra a Austrália. Com o “sim” e muitas lágrimas, o casal foi ovacionado pela torcida. Faustino foi titular em todos os jogos da seleção na Olimpíada, fazendo 29 defesas de um total de 57 conclusões em jogadas normais. Em short corners, defendeu 14 de 23 tentativas adversárias e levou um gol de pênalti.

Exclusivo: os números do Brasil na Olimpíada

stephane.jpg

Stéphane foi o destaque da seleção na Olimpíada

O Hóquei Brasil traz com exclusividade os números da primeira participação olímpica no hóquei masculino. Primeiro vamos lembrar nossos placares:

Brasil 0 x 7 Espanha
Brasil 0 x 12 Bélgica
Brasil 1 x 9 Grã-Bretanha
Brasil 0 x 9 Nova Zelândia
Brasil 0 x 9 Austrália

Foram 46 gols contra e um a favor para a seleção brasileira, que foi treinada por Cláudio Rocha na competição. Nosso único gol foi marcado numa jogada de short corner pelo camisa 9, Stéphane Smith, que atua no hóquei britânico. No total, a seleção deu 12 batidas a gol nos Jogos Olímpicos. 10 deles em jogadas de linha e 2 em short corners. Stéphane foi o destaque, com 5 tentativas no total, sendo duas em short corners. Lucas Paixão veio na sequência, com 3 tentativas. Matheus, Joaco, Adam e Mesquita arriscaram a gol uma vez cada. Contra nós, tivemos 142 conclusões a gol dos adversários, sendo 103 em jogadas de linha e 38 em short corners. Dessas tentativas, foram convertidos 34 gols em jogadas normais, 11 em short corners e um de pênalti.

gol GB.jpg

Comemoração do gol contra a Grã-Bretanha

Em relação aos cartões, tomamos 5 verdes e 2 amarelos na Olimpíada. Joaco levou 2 verdes e Bruno Mendonça, Lucas Paixão e Paulo Jr. um cada. Adam e Mesquita foram advertidos com os cartões amarelos.

Vamos falar agora sobre os goleiros. Rodrigo Faustino foi titular em todos os jogos e fez 29 defesas de um total de 57 conclusões em jogadas normais. Em short corners, defendeu 14 de 23 tentativas adversárias e levou um gol de pênalti. Já Thiago Bomfim, o Taffa, entrou nas partidas contra Grã-Bretanha e Austrália. Defendeu 3 de 6 conclusões a gol e jogadas normais e 2 de 4 short corners contra o Brasil.

Sobre as escalações, apenas quatro atletas não começaram nenhuma partida como titulares: o goleiro Taffa, Rodrigo Steimbach, Paulo Jr. e Chris McPherson.

Seleção feminina tem novidades na convocação

selecao feminina

Saiu a lista das 18 atletas convocadas para a disputa da 1ª Rodada da Liga Mundial, que também vai servir como o Campeonato Sul-Americano de Hóquei, em outubro, no Peru. Em janeiro, o técnico argentino Ignacio Lopez tinha convocado 31 atletas para participar dos treinamentos inciais. A curiosidade é que duas atletas não estavam nessa relação inicial e apareceram na convocação: Daniella Lobo e Desiree Scherf. Os times brasileiros com mais atletas convocadas são Desterro e Carioca, com três jogadoras cada. Florianópolis e Londrina têm uma atleta cada. 10 jogadoras atuam em outros países. Entre as ausências na lista estão Patrícia Boos, ex-capitã da seleção e que atuava no hóquei francês, Nathalia Marques, capitã do título brasileiro do Carioca, Bruna Ferraro, que joga na Argentina, e as vencedoras do Prêmio Brasil Olímpico Laís Bernardino e Juliana Gelbcke, a Juba.

Veja a relação de convocadas pelo técnico Ignacio Lopez:

Carioca: Carol Bonjour, Tatiana Noronha e Úrsula Santos.

Florianópolis: Jacqueline Peyloubet

Desterro: Alexia Sant’Anna, Mayara Fedrizzi e Thalita Cabral

Londrina: Andrea Bernardes (GK)

Hurley (Holanda): Eveline Beljon e Claire Hillbrink

AHC Velp (Holanda): Karolina Sluis

Holanda: Teska Tuijt (GK)

Universitario La Plata (Argentina): Luciana Peralta

Regatas Bella Vista (Argentina): Anita Rodriguez

Banfield (Argentina): Wanda Olivares

Old Christians (Uruguai): Helena Betolaza

Chile: Daniella Lobo

Desiree Scherf

Exército vai administrar campos em Deodoro

Os dois campos oficiais em Deodoro vão ficar sob administração do Exército após os Jogos Olímpicos. A responsabilidade vai ser do Destacamento Desportivo da Vila Militar, que é subordinado ao Centro de Capacitação Física do Exército. Além dos campos, o Exército vai administrar toda a área externa, que inclui um campo de aquecimento, arquibancada com capacidade para 2.500 pessoas, quatro vestiários para as equipes, dois vestiários para a arbitragem, depósito, banheiros, vestiários para a administração, sala de controle de dopagem, quatro salas para organização das competições e sala de reunião. Ainda não foi definida como vai ser a divisão dos horários de treinamento para as equipes que desejarem treinar nos campos.

EXERCITO HOQUEI.jpg