Faustino embarca para jogar na Espanha

faustino embarque

Faustino no embarque em Florianópolis

O goleiro Rodrigo Faustino, um dos destaques da seleção brasileira na Olimpíada, com grandes atuações, embarcou nesta terça-feira (23) para Barcelona, na Espanha. O catarinense, que completou 29 anos em janeiro, vai jogar pelo Deportivo Terrassa, fundado em 1910 e com um título da Liga Espanhola e 12 da Copa do Rey no masculino. Faustino é tetracampeão brasileiro pelo Florianópolis e conquistou o título do Evento Teste Olímpico pela seleção brasileira em 2015.

O goleiro, que tem Ayrton Senna como ídolo no esporte, tinha assinado com o Rio Hockey para o Campeonato Brasileiro desse ano, mas ainda não se sabe se vai participar da fase final da competição. Durante os Jogos, o atleta foi destaque na imprensa ao pedir em casamento a namorada, Maria Luiza Gil, logo após a partida contra a Austrália. Com o “sim” e muitas lágrimas, o casal foi ovacionado pela torcida. Faustino foi titular em todos os jogos da seleção na Olimpíada, fazendo 29 defesas de um total de 57 conclusões em jogadas normais. Em short corners, defendeu 14 de 23 tentativas adversárias e levou um gol de pênalti.

Exclusivo: os números do Brasil na Olimpíada

stephane.jpg

Stéphane foi o destaque da seleção na Olimpíada

O Hóquei Brasil traz com exclusividade os números da primeira participação olímpica no hóquei masculino. Primeiro vamos lembrar nossos placares:

Brasil 0 x 7 Espanha
Brasil 0 x 12 Bélgica
Brasil 1 x 9 Grã-Bretanha
Brasil 0 x 9 Nova Zelândia
Brasil 0 x 9 Austrália

Foram 46 gols contra e um a favor para a seleção brasileira, que foi treinada por Cláudio Rocha na competição. Nosso único gol foi marcado numa jogada de short corner pelo camisa 9, Stéphane Smith, que atua no hóquei britânico. No total, a seleção deu 12 batidas a gol nos Jogos Olímpicos. 10 deles em jogadas de linha e 2 em short corners. Stéphane foi o destaque, com 5 tentativas no total, sendo duas em short corners. Lucas Paixão veio na sequência, com 3 tentativas. Matheus, Joaco, Adam e Mesquita arriscaram a gol uma vez cada. Contra nós, tivemos 142 conclusões a gol dos adversários, sendo 103 em jogadas de linha e 38 em short corners. Dessas tentativas, foram convertidos 34 gols em jogadas normais, 11 em short corners e um de pênalti.

gol GB.jpg

Comemoração do gol contra a Grã-Bretanha

Em relação aos cartões, tomamos 5 verdes e 2 amarelos na Olimpíada. Joaco levou 2 verdes e Bruno Mendonça, Lucas Paixão e Paulo Jr. um cada. Adam e Mesquita foram advertidos com os cartões amarelos.

Vamos falar agora sobre os goleiros. Rodrigo Faustino foi titular em todos os jogos e fez 29 defesas de um total de 57 conclusões em jogadas normais. Em short corners, defendeu 14 de 23 tentativas adversárias e levou um gol de pênalti. Já Thiago Bomfim, o Taffa, entrou nas partidas contra Grã-Bretanha e Austrália. Defendeu 3 de 6 conclusões a gol e jogadas normais e 2 de 4 short corners contra o Brasil.

Sobre as escalações, apenas quatro atletas não começaram nenhuma partida como titulares: o goleiro Taffa, Rodrigo Steimbach, Paulo Jr. e Chris McPherson.

Seleção feminina tem novidades na convocação

selecao feminina

Saiu a lista das 18 atletas convocadas para a disputa da 1ª Rodada da Liga Mundial, que também vai servir como o Campeonato Sul-Americano de Hóquei, em outubro, no Peru. Em janeiro, o técnico argentino Ignacio Lopez tinha convocado 31 atletas para participar dos treinamentos inciais. A curiosidade é que duas atletas não estavam nessa relação inicial e apareceram na convocação: Daniella Lobo e Desiree Scherf. Os times brasileiros com mais atletas convocadas são Desterro e Carioca, com três jogadoras cada. Florianópolis e Londrina têm uma atleta cada. 10 jogadoras atuam em outros países. Entre as ausências na lista estão Patrícia Boos, ex-capitã da seleção e que atuava no hóquei francês, Nathalia Marques, capitã do título brasileiro do Carioca, Bruna Ferraro, que joga na Argentina, e as vencedoras do Prêmio Brasil Olímpico Laís Bernardino e Juliana Gelbcke, a Juba.

Veja a relação de convocadas pelo técnico Ignacio Lopez:

Carioca: Carol Bonjour, Tatiana Noronha e Úrsula Santos.

Florianópolis: Jacqueline Peyloubet

Desterro: Alexia Sant’Anna, Mayara Fedrizzi e Thalita Cabral

Londrina: Andrea Bernardes (GK)

Hurley (Holanda): Eveline Beljon e Claire Hillbrink

AHC Velp (Holanda): Karolina Sluis

Holanda: Teska Tuijt (GK)

Universitario La Plata (Argentina): Luciana Peralta

Regatas Bella Vista (Argentina): Anita Rodriguez

Banfield (Argentina): Wanda Olivares

Old Christians (Uruguai): Helena Betolaza

Chile: Daniella Lobo

Desiree Scherf

Exército vai administrar campos em Deodoro

Os dois campos oficiais em Deodoro vão ficar sob administração do Exército após os Jogos Olímpicos. A responsabilidade vai ser do Destacamento Desportivo da Vila Militar, que é subordinado ao Centro de Capacitação Física do Exército. Além dos campos, o Exército vai administrar toda a área externa, que inclui um campo de aquecimento, arquibancada com capacidade para 2.500 pessoas, quatro vestiários para as equipes, dois vestiários para a arbitragem, depósito, banheiros, vestiários para a administração, sala de controle de dopagem, quatro salas para organização das competições e sala de reunião. Ainda não foi definida como vai ser a divisão dos horários de treinamento para as equipes que desejarem treinar nos campos.

EXERCITO HOQUEI.jpg

Black Sticks passam pela seleção brasileira

bra nzl.jpg

O goleiro Faustino em ação contra a Nova Zelândia

Faltavam só 30 segundos para o fim do 1º quarto de jogo no campo 2 do Centro de Hóquei em Deodoro. O placar mostrava Brasil 0 x 0 Nova Zelândia. Um resultado surpreendente para o confronto entre o 8º colocado no ranking da FIH contra o Brasil, na 30ª posição. Segurávamos os neozelandeses, quando o camisa 32 Nick Wilson abriu o placar para os black sticks. No 2º quarto, a seleção da Oceania veio com tudo pra cima do Brasil e marcou mais quatro gols, fechando o 1º tempo com o placar de 5 x 0.

Stéphane, que tinha marcado o gol brasileiro contra a Grã-Bretanha, foi mais uma vez o melhor em campo pela seleção, com muita consistência na defesa. Matheus fez boas jogadas individuais e tentava levar o time ao ataque, aproveitando a velocidade de Lucas Paixão. O goleiro Faustino fez grandes defesas e evitou um placar ainda mais dilatado em Deodoro.

No 3º quarto os neozelandeses fizeram mais três gols e apenas um no último quarto de partida, com Nic Woods fechando o placar em 9  x 0. Com a vitória, a Nova Zelândia chegou aos 4 pontos no Grupo A, ocupando a 4ª posição. Eles enfrentam a Bélgica na sexta-feira, no último jogo da 1ª fase. Já o Brasil segue na lanterna do grupo A, sem pontos. A seleção pega a Austrália no encerramento da fase de classificação, também na sexta.

safadao.jpg

Patrick “Safadão”

Vai, safadão!

O jogador mais festejado pela torcida brasileira em Deodoro, foi, mais uma vez, o camisa 15 Patrick. A cada vez que o jogador tocava na bola era ovacionado com os gritos de “Vai, Safadão”, apelido dado por causa do coque no cabelo adotado pelo atleta. Ontem até uma faixa especial foi levada para a arquibancada de Deodoro e o DJ do campo  ainda tocou uma vinheta especial.

bra nzl2.jpg

Bruno Paes e Patrick tentam parar o jogador neozelandês

Noite de sentimentos diferentes em Deodoro

BRASIL X GBR.jpg

Brasil perdeu para a Grã-Bretanha por 9 x 1. Foto: Christian Petersen

Primeiro, a alegria. Não faltou vibração para celebrar um momento histórico: o primeiro gol brasileiro na história das Olimpíadas. E coube a Stéphane Smith, um dos destaques da equipe, a honra de ser o primeiro brasileiro a marcar nos Jogos, com pouco mais de 3 minutos de jogo, numa jogada de short corner.  A equipe comandada por Cláudio Rocha segurou a pressão britânica até os 8 minutos, quando Adam Dixon deixou tudo igual no placar. Barry Middleton colocou a Grã-Bretanha em vantagem no fim do 1º quarto. Ashley Jackson marcou o terceiro gol aos 26`. 10 minutos depois, Harry Martin fez o quarto.

Precisando de um bom saldo de gols para brigar por uma das quatro vagas nas quartas-de-final, os britânicos tiraram o goleiro e colocaram mais um jogador de linha em campo a cerca de 10 minutos do fim da partida. E a tática deu certo, com o placar fechando em 9 x 1. A torcida compareceu em bom número ao Centro Olímpico de Hóquei e  jogador mais celebrado nas arquibancadas foi Patrick, que ganhou o apelido de “Safadão” por causa do coque no cabelo, parecido com o do cantor cearense.

A seleção brasileira agora tem três derrotas em três jogos, com 28 gols sofridos e um a favor. A equipe volta a campo hoje às 19h30, contra a Nova Zelândia, quinta colocada no grupo A. Os britânicos jogam às 20h30 contra a Austrália. Veja como está a classificação do masculino:

classifica olimpiada.jpg

BRA X GBR 2.jpg

O goleiro Taffa e Yuri tentam tirar a bola da área brasileira. Foto: Christian Petersen